Total de visualizações de página

segunda-feira, 3 de abril de 2017

ATÉ QUANDO VAMOS NOS CALAR DIANTE DOS DESMANDOS DESTE GOVERNO CORRUPTO E ILEGÍTIMO?

Prof. Dr. Valter Machado da Fonseca (2017)



Prof. Dr. Valter Machado Fonseca
Se realizarmos um balanço deste desgoverno que dorme em berço esplêndido no Palácio do Planalto, nada teremos a dizer de positivo. Pelo contrário, trata-se de um circo montado e arquitetado pela família dirigente do império da Rede Globo, o tucanato e os intocáveis magistrados (homens de toga), estes últimos indicados a dedo para dar legitimidade aos desmandos do bando de corruptos que ocupam os ministérios e o Palácio do Planalto.
Tudo milimetricamente programado e planejado para levar a cabo o desmanche e o desmonte total do Estado brasileiro, dizimando, uma a uma, todas as conquistas da classe trabalhadora e da juventude brasileiras.
O balanço? Que balanço?
Por intermédio do golpe aos moldes do regime dos generais os arquitetos golpistas de plantão prometeram e fizeram à surdina e à revelia da vontade popular:
O desmonte e sucateamento total da educação pública brasileira;
O desmantelamento e sucateamento do sistema de saúde pública do país;
A desfiguração ideologizada à direita do Ensino Médio;
O fim do Programa Ciência Sem Fronteiras;
O desmonte total dos planos e projetos sociais;
O aumento nunca dantes presenciado das tarifas e impostos sobre a totalidade dos produtos;
O desmonte de nossas principais empresas provocando o maior índice de desemprego do último período;
A privatização das principais empresas e serviços, colocando-os a serviço dos grandes grupos transnacionais;
A terceirização do trabalho em todos os setores e ramos de atividades;
O ataque e a criminalização generalizados dos movimentos sociais e da juventude;
A promoção das regalias dos homens de toga, ministros, senadores e deputados;
E, para culminar todas estas aberrações e monstruosidades construídas contra os trabalhadores e a juventude de nosso país, enfim, prometem para o dia 28 de abril decretar o total extermínio do sistema previdenciário do Brasil.
Por fim, a pergunta que a grande maioria da população brasileira deve estar se fazendo: Até quando vamos aturar aos desmandos desses corruptos? Por tudo isso, temos todos os motivos para parar este país. Diante disso, resta o apelo aos trabalhadores e à juventude do Brasil: Vamos todos, juntos, ombreados, parar este país e CONSTRUIR A GRANDE GREVE GERAL DO DIA 28 DE ABRIL. Esta é a linguagem que estes senhores entendem!

sábado, 1 de abril de 2017

MANIFESTAÇÃO CONTRA O DESMONTE DO PAÍS EM VIÇOSA - MG

Manifestação Viçosa - MG (31/03/2017)

Manifestação Viçosa - MG (31/03/2017)

Manifestação Viçosa - MG (31/03/2017)

Manifestação Viçosa - MG (31/03/2017)

Manifestação Viçosa - MG (31/03/2017)

Manifestação Viçosa - MG (31/03/2017)

Manifestação Viçosa - MG (31/03/2017)



Prof. Dr. Valter Machado Fonseca

Apesar do boicote da mídia capitaneado pelo império da Rede Globo, milhares de manifestações contra o ataque às conquistas dos trabalhadores e contra o desmonte total do país, aconteceram nas capitais e em centenas de cidades do interior do Brasil. Isto é demonstração de que a classe trabalhadora e a juventude não vão se curvar diante desse (des)governo que dorme em berço esplêndido no Palácio do Planalto. Em Viçosa (Fotos), aproximadamente 1000 pessoas saíram em passeada da UFV até a câmara dos vereadores no centro da cidade, culminando com um ato público promovido por organizações dos trabalhadores e da juventude.

quarta-feira, 22 de março de 2017

O PAÍS DAS MARAVILHAS




Prof. Dr. Valter Machado da Fonseca
Hoje me peguei pensando sobre a “crise política” e econômica que insistem em deixar em evidência desde o ano passado. Em que pese todos os problemas de corrupção que assola o Brasil, aliás, a corrupção é um problema estrutural do capitalismo, o qual também está em crise estrutural profunda e não é privilégio somente do nosso país, a grande mídia sob a batuta do grande império capitalista insiste, de forma contundente e insistentemente, em denegrir o que resta de nossa dignidade, da honradez e da grandiosidade da nação brasileira.
É interessante notar que em qualquer nação capitalista do planeta os governantes procuram resolver suas crises internas (dentre elas a corrupção) de forma rápida, efetiva, de maneira a denegrir o mínimo possível a imagem e os valores do país. No Brasil , ao contrário disso, a grande mídia televisiva, escrita e falada procura de todas as formas possíveis enlamear cada vez mais o nome do país e a dignidade de seu povo. E parece que não cansam! Apesar da crise econômica estrutural que nos atinge, os nossos (des)governos querem entregar definitivamente o patrimônio e os recursos naturais brasileiros para quaisquer calhordas que estejam de plantão.
Com a falência de mercados consumidores importantes como os EUA, a Europa e a retração da economia chinesa já quase não temos opções de exportações o que aprofunda de maneira exorbitante nossa já insustentável crise, os paladinos de plantão no Palácio do Planalto ainda tentam de todas as formas possíveis e imagináveis, demonstrar para o mundo nossa ineficiência e a fragilidade de nossos produtos agrícolas e industriais. Enquanto difamam nossa dignidade enquanto nação, ficam de olho nas “suspeitíssimas” eleições de 2018 fazendo a cama para que os paladinos da justiça de orientação fascista (como o Sr. Moro & Cia) venham deitar no berço esplêndido do planalto central do país. Aí fica a pergunta que não quer calar: até onde vai o fundo de nosso poço?    

domingo, 19 de março de 2017

RODA MUNDO, RODA GIGANTE, RODA MOINHO, RODA PIÃO!

Prof. Dr. Valter Machado da Fonseca (2017)



Prof. Dr. Valter Machado da Fonseca
Enquanto tentamos nos equilibrar no “fio da navalha”, enquanto nos reinventamos para sobreviver, uma política altamente maléfica, cruel, nociva à humanidade está se desenrolando num ritmo frenético, às sombras da “casa branca”. A política liberal (ou neoliberal, como preferem alguns) emerge da sucata, do chorume do capitalismo em crise profunda em nível mundial.
Vemos em todos os países do mundo uma guinada política milimetricamente planejada, à direita, com o único objetivo: garantir as condições de reprodução do capital e da chama da mais-valia ameaçadas pela crise estrutural do sistema sociometabólico da máquina produtiva do sistema capitalista. Isto fica bem evidenciado, se observarmos de maneira mais cuidadosa e mais apurada os diversos governos que assumem o poder político e econômico em diversas regiões do globo. A nova ordem econômica mundial já não pode ser imposta por intermédio das grandes guerras mundiais, conforme demonstrado historicamente è época dos grandes impérios num tempo recente.
E quem paga o ônus das crises estruturais do capital de expressivas magnitudes, como sempre, é a classe trabalhadora, os movimentos e organizações dos explorados e marginalizados do mundo. A expressão maior dessa guinada para a instalação de governos representantes da extrema direita e nazifascistas é a ascensão ao poder de Donald Trump que assume o poder central da maior potência capitalista, os EUA. O recado do governo nazifascista de Trump para todos os povos do globo vem por intermédio de seus primeiros decretos que são extremamente claros como a segregação social, étnico-racial e religiosa. Tudo em nome de uma pretensa justificativa de zelar pela segurança dos EUA. Mas, não se trata de salvaguardar a segurança do povo norte americano, mas sim, das elites do comando do sistema capitalista.
O chefe maior do Estado americano não é nenhum “louco”, conforme pensam muitos. Mas trata-se, sobretudo, da escolha da pessoa “certa” para colocar em execução, de forma imediata, as metas e planos nazifascistas que visam ao massacre das conquistas dos trabalhadores em nível planetário, objetivando manter as condições para a reprodução expandida do capital e as regalias do seleto grupo da burguesia norte americana como controladora dos destinos da humanidade, pairando sobre o conjunto dos povos como juíza suprema, que a todos pode julgar e por ninguém pode ser julgada. É a instalação formal da barbárie capitalista dos tempos presentes.          

II FEIRA DE CONHECIMENTOS LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO – UFV

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017

II Feira de Conhecimentos - Licena - UFV - 2017



Prof. Dr. Valter Machado da Fonseca
Aconteceu hoje (sábado, dia 11 de março de 2017) na Universidade Federal de Viçosa, a II Feira de Conhecimentos da Licenciatura em Educação do Campo (Licena). A feira foi uma mostra riquíssima dos conhecimentos adquiridos e produzidos pelos alunos (as) da Licena. A mostra se deu no formato de tendas e painéis temáticos sobre diversos assuntos envolvidos das experiências dos pequenos produtores e rurais e de todos os que vivem da terra. É importante ressaltar a presença de representantes das comunidades indígenas, quilombolas e Escola Famílias Agrícolas.
Foi uma experiência extremamente riquíssima, pois, as discussões e debates foram profundos e se situaram no terreno da Educação Libertadora no campo brasileiro, construída por intermédio dos pilares e fundamentos da agroecologia. O encerramento das atividades ocorreu por intermédio de um seminário sobre os temas envolvidos na feira. A mesa de debates do seminário foi composta pelas professoras Bethânia e Cristine e por mim. Parabenizo a todos (as) alunos (as) envolvidos (as) no projeto e agradeço à equipe de professores da Licena/UFV a oportunidade ímpar de participar de um evento tão relevante e significativo. Foi uma experiência extremamente rica e única.   
Os créditos das fotos são de Carmen Lúcia Ferreira