Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

LIVRO PUBLICAÇÃO 2018

Foto: Prof. Valter Machado da Fonseca (2017)


Prof. Dr. Valter Machado Fonseca
A conjuntura política e econômica, que marca os tempos neoliberais que perpassam o momento histórico atual, apresenta elementos, fatores e aspectos aterradores que atingem a totalidade dos povos marginalizados e a classe trabalhadora em nível planetário.
A força destrutiva do capital, em consonância com as demandas neoliberais em todo o globo, percebeu o ponto crucial e nevrálgico para a destruição de todas as parcas conquistas das camadas mais carentes da população mundial, ou seja, a destruição do social em seus aspectos mais intrínsecos e, isto passa necessariamente pela quebra da unidade da classe trabalhadora, pela sua micro-fragmentação, pelo desmonte do sentido de pertencimento de classe dos explorados.
E para desmontar efetivamente a classe trabalhadora, o capital percebeu que deve agir e deslocar seu potencial destrutivo, próprio dos tempos de barbárie, para as mentes dos explorados, o que significa dizer a destruição da consciência humana histórica e socialmente construída nas experiências empíricas da luta de classes. A destruição da consciência humana passa, necessariamente pelo aumento infinitamente exponencial do processo de alienação do trabalho humano regido pela ganância da mais-valia capitalista. Agindo nesta direção, o capital elimina quaisquer formas de enfrentamento da classe oprimida em busca de sua autonomia.
É com base nestas reflexões que pretendo publicar uma obra que vai necessitar de um exercício intelectual árduo, profundo e de fôlego. Este livro é a principal tarefa que pretendo concluir neste próximo ano de 2018. Tal obra terá por espinha dorsal os estudos de Karl Marx, Ístvan Mészáros e Ricardo Antunes e terá como título “ALIENAÇÃO, AUTONOMIA, CONSCIÊNCIA DE CLASSE E TRABALHO DOCENTE”. Portanto, meus caros amigos e amigas o lançamento desta obra que vai demandar a recusa das leituras de superfície e a busca constante da ação de “escavar a realidade”, com vistas a elucidar a crueldade e a acidez desta conjuntura própria da autofagia do capital em tempos neoliberais, será de grande valia para a compreensão do conjunto das ofensivas do capital sobre os trabalhadores, em especial nos tempos pelos quais passamos.
Tenham ótimas festas de final de ano, mesmo apesar das adversidades conjunturais dos tempos presentes.
Um abraço a todos (as)!

Nenhum comentário:

Postar um comentário